Acampamento no Rodeador.

Amanhece chovendo e sinto aquele olhar na barraca onde só cabem dois. Tinha um cururu dentro da barraquinha, saí correndo, desvairada de medo misturado ao asco.

Os cururus, a que vieram?

Postagens mais visitadas deste blog

É casa, é jardim

Arquiteto Carlos Nascimento (in memoriam) será homenageado pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo

Sonhos famintos: leitura do conto A Cadeira de Balanço, de Clarissa Loureiro