Eu decidi pintar de azul o meu caminho. Nele, quero rosas vermelhas, amarelas e brancas. Sorrisos, risadas e música.

Postagens mais visitadas deste blog

Sonhos famintos: leitura do conto A Cadeira de Balanço, de Clarissa Loureiro

O tecer das horas e o bordar das pétalas

Gabriel, Miguel, Drummond e Chico