Ondas de medo, tensão, ansiedade, frustração...
q não me podem paralisar.
sei, a paralisia às vezes é necessária - em face do perigo, animais somos; diante do risco, a melhor estratégia é ficarmos parados, sem respirar.
só que não dá pra ficar petrificada, é preciso partir, descer com o trem andando!

Postagens mais visitadas deste blog

Sonhos famintos: leitura do conto A Cadeira de Balanço, de Clarissa Loureiro

O tecer das horas e o bordar das pétalas

Gabriel, Miguel, Drummond e Chico