Ariano, devo a mim mesma um texto sobre sua grandeza. Não, minha gente, Suassuna não morreu. E não morrerá pois a herança que ele vai deixar é eterna.
A campanha: Ariano Suassuna para embaixador vitalício do Brasil!

Postagens mais visitadas deste blog

Arquiteto Carlos Nascimento (in memoriam) será homenageado pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo

Sonhos famintos: leitura do conto A Cadeira de Balanço, de Clarissa Loureiro

O tecer das horas e o bordar das pétalas