Sob a chuva

O que tenho a escrever sobre a chuva q te sufocou hoje à noite? Tu fica tão linda, Petrolina.

M-o-l-h-a-d-a, m-o-l-h-a-d-a, a água lhe cai bem.

Tua sequidão às vezes me incomoda. Sol demais, sol demais.

Uma trégua para o quente, uma trégua para o seco.

Postagens mais visitadas deste blog

Arquiteto Carlos Nascimento (in memoriam) será homenageado pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo

É casa, é jardim

Sonhos famintos: leitura do conto A Cadeira de Balanço, de Clarissa Loureiro