Tomaz Maciel, meu professor de literatura, se foi




Não era aula que ele dava, era feitiçaria. Eu e uma amiga, Luciana Marinho, o chamávamos secretamente de bruxo.

Tomaz Maciel, você foi meu amigo, acreditou em mim e sempre me quis por perto. Meu professor de literatura brasileira. Obrigada por ter sido sua aluna. 

Foram imensas as marcas que você deixou. A minha vontade de ser jornalista foi alimentada por suas aulas, sempre maravilhosas, sempre inesquecíveis.





Postagens mais visitadas deste blog

Arquiteto Carlos Nascimento (in memoriam) será homenageado pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo

Sonhos famintos: leitura do conto A Cadeira de Balanço, de Clarissa Loureiro

O tecer das horas e o bordar das pétalas