É casa, é jardim


É casa, é jardim

18 de outubro de 2017, minha mãe, dona Duzinha, faz 82 anos de vida!

São tantas as obras que a senhora realizou. E agora, quer dar concretitude ao sonho de edificar a Vila das Margaridas, uma casa-jardim para abrigar os idosos que não podem mais moram nas suas residências por motivos diversos. Idosos que  precisam de muitos cuidados ao fim das suas trajetórias neste planeta.

A senhora sempre auxiliou os outros e às vezes eu me ressentia devido ao pouco tempo que restava depois das suas horas de trabalho como revendedora da Avon e da Christian Grey. A senhora andava pelas ruas de Petrolina e Juazeiro com uma sacola pesada, entregando as encomendas. Eram desodorantes, colônias, hidratantes. Vem daí o seu hábito de presentar tanta gente com o sabonete Alma de Flores? :)  A senhora que gosta tanto de começar os textos das campanhas de arrecadação de alimentos com a frase "Fica sempre um pouco de perfume nas mãos que oferecem rosas, nas mãos que sabem ser generosas."

Mãe, hoje, adulta que sou, consegui finalmente compreender a sua dedicação ao povo, aos que poucas oportunidades tiveram na vida. A senhora sempre abriu a porta da sua casa quando ainda não existiam portões. Obrigada a construir um muro na frente do seu lar, a parede sempre foi baixa para enxergar quem passava pedindo ajuda. Tô falando da nossa casa na Rua da Harmonia, Vila Mocó, bairro chamado agora de Jardim Paulo Afonso.

Foi na Rua da Harmonia que a senhora começou distribuindo sopa pra quem tinha fome.

Depois, me lembro, a senhora fez uma

campanha para a aquisição de baldes de lixo para todos os moradores, aqueles feito de pneus;  era uma espécie de bolão solidário, em que cada um pagava um valor e iam sendo contemplados.
a campanha do saneamento;

o plantio das árvores no bairro inteiro;

a construção da Escola Nosso Espaço;

o Grupo Vida Nova de Terceira Idade;

a unidade da Nova Semente na Rua Bahia e aí, começo a chorar escrevendo isso.

Tudo o que a senhora construiu foi graças aos seus amigos e ao apoio da sua família.

Tantos amigos a senhora tem, Mainha, que auxiliam no seu trabalho.

Mãe, tenho que parar de escrever e correr pra ter dar um abraço bem forte de feliz aniversário!

= = = Petrolina, 18 de outubro de 2017

Postagens mais visitadas deste blog

Arquiteto Carlos Nascimento (in memoriam) será homenageado pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo

Sonhos famintos: leitura do conto A Cadeira de Balanço, de Clarissa Loureiro