Resenha do livro "A elegância do ouriço"

Nessas férias de julho, tive o prazer de ter nas mãos o livro “A elegância do ouriço” que foi lançado em 2008 pela Companhia das Letras, mas que só agora tive a chance de ler. Costumo pensar que a vida fica mais fácil ser vivida quando temos um bom livro nas mãos, mas qual, esse não é um bom livro. Mais que isso, é uma deliciosa surpresa.



A autora, Muriel Barbery, traz um maravilhoso embate entre classes sociais em Paris -  e que fosso há entre elas - de um modo surpreendente. De um lado, Renée Michel, a concierge de um luxuoso prédio residencial em Paris. De outro, Paloma Josse, uma menina de 12 anos, filha de uma rica família francesa.

uma bomba chiando na colcha de retalhos tecida por Michel e Josse ao narrarem os acontecimentos que se passam no número 7 da Rue de Grenelle. Uma bomba que explode em gotas de filosofia, música, literatura e arte. O ambiente é altamente bélico, mas fará o leitor rir e chorar.

Trecho

Acho que só há uma coisa a fazer: encontrar a tarefa para a qual nascemos e realizá-la o melhor possível com todas as nossas forças, sem complicar as coisas e sem acreditar que há um lado divino na nossa natureza animal. Só assim que teremos a sensação de estar fazendo algo construtivo no momento em que a morte nos pegar.  A liberdade, a decisão, a vontade, tudo isso são quimeras. Acreditamos que podemos fazer mel sem partilhar o destino das abelhas; mas não somos mais que pobres abelhas fadadas a cumprir sua tarefa e depois morrer.

Ficha técnica

Livro: "A elegância do ouriço"
Autora: Muriel Barbery
Título original: L´élégance Du hérrison
Tradução de Rosa Freire d´Aguiar

Editora: Companhia das Letras

Postagens mais visitadas deste blog

Arquiteto Carlos Nascimento (in memoriam) será homenageado pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo

É casa, é jardim

Gabriel, Miguel, Drummond e Chico